sexta-feira, outubro 16, 2009

biba biba biba biba





Chegado do Porto só apetece é caminha.


Mas há-que fazer justiça: a malta do Porto é mesmo hospitaleira e genuína. As diferenças são notórias mal se chega. Nota-se logo na forma como as mulheres guiam, depressa e de forma destemida. A forma como as mulheres atravessam uma passadeira, atirando-se com autoridade e determinação.
E quando nos perdemos, cada pessoa que interpelamos para nos ajudar é o mais prestável que é possível um ser humano ser, do mais novo ao mais velho.
Pena que muitos, quando vêem uma câmara de televisão ou microfone, fogem a sete pés.

Embora tenha andado perdido em algumas ruas com sentidos e impossibilidades de se virar maradas, fiquei com a sensação do Porto, uma cidade genuína e determinada. Gostei do pouco trânsito nas vias principais, como a circunvalação, não gostei do trânsito nas vias mais pequenas do centro só com meia dúzia de carros.
Pena que uns atrasos infelizes tenham tornado a passagem pelo Porto tão apressada e pressionada. E até o Luís Freitas Lobo encarna esse espírito boa onda, prestável e simpático que parece inundar tantas pessoas portuenses.

Biba o Pórto, carago!




3 comentários:

João disse...

Biba !! :p

Margarida disse...

Ó riqueza! Se já gostava de si, agora passei a amar! ;)
Quando regressar dê notícia atempada, para ter ainda mais cicerones!
'biba'!

papoila disse...

Biba o Porto e Biba o Norte!...
É que a minha terra é um bocadinho mais acima!!!!:)
xx