quarta-feira, fevereiro 28, 2007

queen mary



Será um prédio? Será uma mansão? Não. É o maior navio cruzeiro do mundo. O Queen Mary 2 chega ao terminal Kwai Chung, em Hong Kong.
Foto: Paul Yeung/Reuters

terça-feira, fevereiro 27, 2007

jornalista fanática


[Estiveram lá, na Holanda, jornalistas portugueses a entrevistar Hugh Grant nesta altura...]

Jornalista algema-se a Hugh Grant
Na Holanda, onde Hugh Grant estava a promover a comédia Music and Lyrics, surgiu não se sabe bem de onde uma jornalista da cadeia televisiva 101. Cielke Sijben aproximou-se de Grant e prendeu o com uma algema que tinha presa ao seu pulso. Só os bombeiros os separaram. No fim, Grant respirou de alívio e ela foi presa.
in Público

scorsese junta-se ao gangue dos óscares


Scorsese venceu os Óscares. Ver em www.MagaCINE.blogspot.com

lição de prostituição

Para todos aqueles que sempre sentiram curiosidade sobre quanto levam algumas prostitutas está aqui uma resposta, com os cumprimentos do jornal Público.

No apartamento da rapariga brasileira (autora de um livro) que se prostitui como uma verdadeira profissional eficiente, dinâmica e organizada os preços rondam o seguinte:

Relação normal (ver tipos de atendimento)
TEMPO LEMBRANÇA Nº OPORTUNIDADES
4 horas 210 rosas 8 oportunidades
3 horas 150 rosas 6 oportunidades
2 horas 110 rosas 4 oportunidades
1h30 80 rosas 3 oportunidades
1 hora 60 rosas 2 oportunidades
40 minutos 50 rosas 1 oportunidade
30 minutos 40 rosas 1 oportunidade
15/20 minutos 30 rosas 1 oportunidade


O artigo que permitiu esta descoberta que, de certo, animará alguns:

Prostitutas com blogues e (agora) livros
Bruna Surfistinha, Maria Porto, Paula Lee. De prostitutas com um blogue tornaram-se escritoras.Qual é o segredo do êxito? Revelaram o outro ladoda prostituição: o lado divertido (e demonstam mitos)
a A fantasia de Paula Lee era poder tirar apontamentos no acto. Já o propôs a alguns clientes, mas eles riram-se. "Pensaram que estava a brincar, mas era uma coisa muito séria. Enquanto eles se satisfaziam, por trás, eu ficaria ali, de quatro, a escrever no portátil. Poderia escrever à mão, mas a minha letra já é tão má em circunstâncias normais... Ou ditar para um gravador, mas isso pareceria que estava a fazer o relato." O computador seria o ideal. Porque nem sempre a memória chega para todos os pormenores. "Às vezes digo-lhes: "Meu bem, faz mais devagar que eu estou memorizando a sequência. Como foi mesmo que começámos?"Terminado o dia de trabalho, Paula escreve pela madrugada fora. No seu blogue amanteprofissional.com, regista tudo o que se passou com os clientes.

26.02.2007, Paulo Moura - mais in Público
Outro artigo

Excerto do livro



Video de Maria Porto, prostituta de 19 anos, com livro lançado e que não pára de dar entrevistas. Este é o blog dela.

"Se as putas passam momentos merdosos?
Passam sim senhor.
Se as pessoas que têm empregos normais e não engolem pilas por dinheiro passam momentos merdosos?
Passam sim.
Se as putas ganham muito mais que as pessoas que têm empregos normais e que também passam momentos merdosos?
Ganham, caralho! Ganham!! Foda-se foda-se foda-se!!!
Ganham dinheiro como merda, conhecem gente importante pra caralho, fodem como se não houvesse amanhã e não trabalham das nove às cinco! E não pagam impostos.
Portantos… qual é a filhadaputa da razão de queixa? Nenhuma, foda-se!
(é que isto deixa-me cega, pá.)"

in A Tua Amiga

descoberta de vida

Censo da Vida Marinha identifica mil espécies na Antárctida
O navio oceanográfico alemão "Polarstern" acaba de descobrir mil espécies nas águas da Antárctida. Algumas poderão mesmo ser novas para a ciência.
Site da expedição do Polarstern

domingo, fevereiro 25, 2007

golpe do dia

Diaby kicks Terry in the face



John Terry ficou insconsciente após este pontapé na cara. Já está bem, depois de uma ida ao hospital. Ah, e o Chelsea ganhou ao Arsenal e venceu a Taça de Liga inglesa.

let incubus reign

Incubus. Só o nome da banda já é promissor. Baseado numa lenda medieval ocidental vem do latim e é referente a um demónio que normalmente tem relações sexuais com mulheres - é visto como pecado sexual e era muito utilizado quando as mulheres "apareciam" grávidas. Com letras arrojadas e profundas, têm no seu vocalista e letrista a sua alma, embora tenham um som único graças à faceta experimentalista da banda. Na minha opinião exageram muitas vezes por serem demasiado pesados (hard rock), nomeadamente em alguns albums. Têm músicas completamente estonteantes e originais. Sempre com um Brandon Boyd com uma voz perfeita para veicular aquelas mensagens, entre o suave e o agressivo. Melodioso e com personalidade.



he loves this game



Um puto que realmente sabe jogar à bola, para além de revelar habilidade fantástica. Chama-se Nikon Jevtic, tem oito anos, e é sérvio, embora tenha vivido em Inglaterra.

sábado, fevereiro 24, 2007

divisão humana

Alguém faz ideia porque é que nos dividimos como dividimos?

mundo ficcionado... sempre

Porque é que vemos o mundo sob o olhar dos outros ou pela ficção leve ou total?
A televisão acabou. Os computadores acabaram. A electricidade cessou. E agora?
Mensagem para o presente e futuro: o governo que se lixe

seated


Seated, originally uploaded by pusspaw.

debandada

Subdirectores do 'Correio da Manhã' deixam jornal

sexta-feira, fevereiro 23, 2007

perigo, tigres no zoo

Tiger kills girl at Chinese zoo

olha olha olha


Uma foto curiosa vista neste blog.

let me just be


, originally uploaded by Allure + Desire.

it´s raining, again... let me stay in bed, free and no worries or obligations. Thank you

aleluia!

[Finalmente perceberam que algo de estranho se passa com este festival que nunca o foi. Os cabeças-de-cartaz nunca foram, tão pouco, convidados. Curioso como algo tão publicitado durante tantos meses e depois de tantos adiamentos ridículos nunca tenha suscitado mais curiosidade, até dos media, pelo menos de forma concreta e clara (o Expresso falou nisso recentemente, não investigou)...]

Festival de Hip-Hop de Lisboa investigado pela PJ
A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar o festival de hip-hop por suspeita de lavagem de dinheiro.De acordo com a edição do Público desta sexta-feira, o evento já foi cancelado três vezes depois de a organização ter gasto milhares de euros em publicidade.

BLITZ: Festival de hip-hop de novo em risco
DN Online: Espectáculo de 50 Cent prometido para Fevereiro
Sol - Festival de Hip Hop Afro-Americano ‘Força Angola’ foi adiado
Festival Hip Hop no Pavilhão Atlântico novamente adiado
(...) Contactada pela agência Lusa, a promotora, que tem sede em Luanda, indicou apenas que o festival foi remarcado para 22 de Fevereiro, embora o Pavilhão Atlântico não tenha qualquer marcação da sala para esse dia. (...)
A editora Universal Music afirmou também à agência Lusa desconhecer qualquer espectáculo de 50 Cent, assim como de Sean Paul e Busta Rhymes, três artistas que editam, no concerto no Pavilhão Atlântico.

a formiga no carreiro



A formiga no carreiro
Vinha em sentido contrário
Caiu ao Tejo
Ao pé dum septuagenário
Larpou trepou às tábuas
Que flutuavam nas àguas
E de cima duma delas
Virou-se prò formigueiro
Mudem de rumo
Já lá vem outro carreiro
A formiga no carreiro
Vinha em sentido diferente
Caiu à rua
No meio de toda a gente
Buliu buliu abriu as gâmbias
Para trepar às varandas
E de cima duma delas

Zeca Afonso

Faz hoje 20 anos que morreu Zeca Afonso. Gosto de Zeca Afonso como gosto de Fernando Assis Pacheco...
Autor de «Grândola Vila Morena» morreu há 20 anos

quinta-feira, fevereiro 22, 2007

fantasia no cinema





O Labirinto do Fauno, do mexicano Guillermo del Toro.

sensacional em baixo

[Será um sinal? Só se for por lá...]

Imprensa sensacionalista britânica está a perder leitores
A imprensa sensacionalista britânica está a perder leitores a um ritmo muito mais rápido do que a «de qualidade», segundo uma análise da empresa de assessoria OC&C Strategy Consultants citada hoje pela revista The Economist.
As publicações sensacionalistas perderam em média 2,1% de leitores por ano entre 1984 e 2000. A partir de 2001, essa média aumentou para 2,6%.
Já a circulação dos chamados jornais «sérios», como The Times e The Guardian, caiu muito ligeiramente nos últimos anos.

reportagem num jornal em queda

O DN pode estar muito mal, com tiragens e audiência pelas ruas da amargura, no entanto, consegue ter reportagens curiosas, originais e que não vejo em mais lado nenhum. No aborto conseguiu ter também as capas mais criativas e bem conseguidas, mesmo que não tenham sido as mais compradas.




Quando os euros não pagam as expectativas
Reportagem de Isabel Lucas
Marco, Paula, Margarida, Inês e Bruno não constam do número de licenciados inscritos nos centros de emprego. Eram 42 mil em 2005. Marco, Paula, Margarida Inês e Bruno têm entre 23 e 30 anos, têm uma licenciatura, têm um emprego, mas nenhum dos cinco exerce a função para a qual recebeu formação. Rima. Rima também com frustração e uma lista de sacrifícios para que ao fim do mês sobre alguma coisa e não falte estímulo para continuar à procura de um lugar compatível e que alguns, apesar de tudo, acham que o mercado ainda tem para lhes dar. Escusado será dizer que, dos cinco, nenhum tem é independência. Essa não se compra com 300, 400, 500 ou mesmo 600 euros, sobretudo quando se vive em Lisboa e se quer comprar casa e carro. Nenhum conseguiu. Apesar do curso superior, o tal canudo que, como refere Inês, "os governantes e os pais" lhes vendem como garante de um futuro mais digno.

A trocar o dinheiro dos outros ou como viver com 650 euros entre o Barreiro e o Cacém sem tempo para olhar a cidade entre o sono da ida e da volta
650€ - Marco Afonso. Funcionário de uma casa de câmbios. 27 anos. Licenciatura em História Moderna e Contemporânea pelo ISCTE, terminada em 2006.

A Mulher-a-dias do texto ou como viver com 300 euros a transformar em prosa as palavras que os outros dizem
300€ - Margarida Ferra. Transcrição de entrevistas. 29 anos. Licenciatura em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa.

Enquanto a publicidade não vem Paula repõe 'stocks' em prateleiras de um supermercado em troca de 403 euros por mês e insiste em não aceitar um 'não' como resposta a tantas habilitações
403€. Paula Cardoso. Funcionária de supermercado. 28 anos. Licenciatura em Relações Públicas e Publicidade, pelo Instituto de Novas Profissões, terminada em 2000


Inês aprendeu a gostar de livros a mesma Inês que queria ser jornalista, só não aprendeu a perceber um mercado que a rejeita por aquilo que acha que vale
560€. Inês. Relações Públicas. 30 anos. Licenciatura em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social, terminada em 2001

O homem das palavras Ditas ou escritas, Bruno não as deixa de cultivar. Se não der para escrever, sempre servem para vender. É poesia com muito de prosaico
675€. Bruno Leonardo. Vendedor. 23 anos. Licenciatura em Sociologia pelo ISCTE e frequência de mestrado em Comunicação


Boas capas durante o Referendo do Aborto:







carey na playboy



Mariah Carey quis mostrar as curvas à Playboy, até porque isso mantém-na nas notícias, o que é sempre agradável. Lá curvas a senhora tem, mas muito Photoshop e base também. Envergonhadamente, posso dizer que já fui fã da Mariah, mas nos primeiros tempos, estava a entrar na adolescência. A Playboy norte-americana tem ainda uma lista onde coloca Scarlet na estrela mais sexy do ano.
Desde a publicação do seu primeiro número, há mais de meio século, que os leitores da Playboy juraram sempre a pés juntos que compravam a revista por causa dos artigos que trazia e não pelas fotos das playmates. E podiam demonstrar ser verdade. Desde a sua fundação, a Playboy publicou consistentemente artigos e entrevistas de e com os mais conceituados e reputados autores e filósofos da actualidade, peças únicas que só podiam ser encontradas intercaladas entre fotografias politicamente pouco correctas. E, até agora, consultar esses artigos e entrevistas em 636 revistas era tarefa hercúlea: há colecções encadernadas da revista, mas não um índice geral, e a própria Playboy apenas dispõe de um arquivo com fichas em papel manuscritas.

vislumbre

Factos desportivos da noite: Lucho González é mais jogador do que Ballack, signifique isso o que significar.

investir nas redacções

O conselho de António Granado: "OS PATRÕES da comunicação social faziam bem em ler este estudo que aparecerá no número de Abril do Journal of Marketing: Investing in the Newsroom is Good for Business"

está confirmado

João Marcelino no Diário de Notícias.

João Marcelino vai deixar direcção do Correio da Manhã

gomas ou vida?

[00937408.jpg]

Foi foto de capa do Público e do JN e apareceu nos vários jornais. Não, não são gomas com forma de pé, são mesmo pés de um prematuro que já tem nome (Amillia Taylor) e que se tornou no mais novo que se conhece, com 23 semanas de gestação - tinha 286 gramas. Nasceu em Outubro e aguentou as primeiras 17 semanas de vida apesar dos problemas digestivos e respiratórios.

terça-feira, fevereiro 20, 2007

in jardim alberto joão trust


alberto

Alberto (João Jardim) demitiu-se. Alberto (João Jardim) recandidatou-se. Alberto (João Jardim) irá eleger-se. Alberto (João Jardim) é o povo da Madeira - na sua própria mentalidade.

"Força, força, companheiro Alberto, nós seremos a muralha de aço!"

Alberto (João Jardim) quer fazer um 25 de Abril madeirense. Ele é os capitães, os generais e o povo.

carnaval do rio


Ser pintor no Carnaval brasileiro é isto...

segunda-feira, fevereiro 19, 2007

paparazzo à portuguesa

Ouvi dizer, pelo meio jornalístico, que a casa de Ricardo Araújo Pereira tem estado a ser vigiada (ou esteve) durante horas por uma espécie de paparazzis portugueses. RAP é, sem dúvida, das pessoas do meio televisivo e artístico português actual mais interessantes (possivelmente até a mais cativante), mas como estamos em Portugal à-que separar o trigo do joio. A grande maioria das pessoas que aparecem nas revistas cor-de-rosa querem aparecer, fazem por isso e tudo. Mesmo quando se vêem fotos à estilo de paparazzo, são em zonas claramente públicas e as pessoas fotografadas não se importam - até buscam exposição. Não é o caso de RAP, que tal como David Fonseca, sempre tentou proteger ao máximo a sua vida privada e as suas duas filhas e mulher. Torna-se ridículo fazer esta espécie de espera na casa de RAP e na escola das filhas porque se sabe bem que esta não é uma pessoa que quer protagonismo da sua vida privada, pelo contrário. O pequeno meio das revistas cor-de-rosa devia de repensar a estratégia...

Como sugestão, RAP poderia aproveitar a presença dos paparazzis e fabricar notícias. Inventava desentendimentos com outros membros dos Gato Fedorento e outro tipo de cenas, estilo Andy Kaufmann... talvez esteja a exagerar, mas que tinha a sua piada, lá isso tinha.

viva o presidente da guerra do afeganistão e iraque

Em Portugal existem bem mais feriados do que nos Estados Unidos. No entanto, por lá eles têm o chamado Dia do Presidente, uma celebração ao seu presidente, que conta como feriado. Curioso.

her life


My life, originally uploaded by Miss Aniela.

que sera, sera


[Sempre adorei esta música, desde miúdo. Era simples, expressiva e positiva em relação à vida...]

Morreu autor de "Que Sera, Sera", aos 92 anos
O compositor norte-americano Ray Evans, autor da canção "Whatever Will Be, Will Be (Que Será, Será)", faleceu quinta-feira aos 92 anos.
Ray Evans faleceu no Hospital Universitário de Los Angeles, vítima de uma crise cardíaca, afirmou ao diário o seu advogado, Frederick Nicholas. A sua longa colaboração com Jay Livingston gerou múltiplas canções de sucesso, tendo a dupla ganho Óscares por "Whatever Will Be, Will Be (Que Será, Será)", "Buttons and Bows" e "Mona Lisa". O duo esteve ainda nomeado para outras quatro canções, tendo sido o autor da célebre música de Natal "Silver Bells". "Ray Evans deixou, com o seu colaborador Jay Livingstone, canções imortais. Ele partiu, mas as suas canções continuam vivas", afirmou ao jornal o compositor Alan Bergman. Cada disco da dupla vendeu mais de um milhão de exemplares, de acordo com o diário Los Angeles Times. --- Lusa


Whatever Will Be, Will Be
When I was just a little girl
I asked my mother, what will I be
Will I be pretty, will I be rich
Here's what she said to me.

Que Sera, Sera,
Whatever will be, will be
The future's not ours, to see
Que Sera, Sera
What will be, will be.

When I was young, I fell in love
I asked my sweetheart what lies ahead
Will we have rainbows, day after day
Here's what my sweetheart said.

Que Sera, Sera,
Whatever will be, will be
The future's not ours, to see
Que Sera, Sera
What will be, will be.

Now I have children of my own
They ask their mother, what will I be
Will I be handsome, will I be rich
I tell them tenderly.

Que Sera, Sera,
Whatever will be, will be
The future's not ours, to see
Que Sera, Sera
What will be, will be.

citações


"Numa carta à mulher, Constance, Mozart diz que tem saudades do rabinho dela (na versão inglesa que li: «your beautiful little ass»). É bom saber que os génios também gostam."
no blog de Pedro Mexia

domingo, fevereiro 18, 2007

mudança da lei de casamento

Existem tantas pessoas neste país com habilitações e trabalho competente e a ganharem tão mal que acho que o Governo deveria ponderar em permitir os casamentos entre 3 e 4 pessoas, para que se possam ajudar com maior facilidade e possam partilhar a mesma casa - sempre poupam uns belos euros.

ny times sem edição impressa

O Ponto Media faz referência a uma conversa entre um editor do New York Times e um jornalista do Haaretz. Basicamente fica claro que o NY Times poderá ficar sem edição em papel dentro de cinco anos, até porque neste momento já tem 1,5 milhões de leitores online contra 1,1 milhões leitores da versão impressa - diariamente.
Faz-me confusão o seguinte: os jornais gratuitos portugueses têm 3 vezes menos leitores que o NY Times, mas redacções 590 vezes mais pequenas.

sábado, fevereiro 17, 2007

aprender

sottovoce
palavra de origem italiana que significa dito de forma privada; por baixo da respiração; de forma ligeira ou suave;

shaking head


Shaking Head, originally uploaded by Allure + Desire.

[v.5]


[v.5], originally uploaded by shadowplay.

história ficcionada

PERGUNTA YAHOO
Who was the first rapper?
Rapper significa alguém que interpreta música de rap. Já rape, significa violação.
O primeiro rapper foi DJ Kool Herc considerado o "pai do hip-hop". Outros consideram ter sido Afrika Bambaataa o primeiro rapper.

Já o primeiro violador é mais difícil de indicar.
Há quem diga que foi, há 40 mil anos atrás, um Homo sapiens sapiens que viveu na região da actual França que se auto-intitulava Ruffaoto. Viu ao longe, junto a um riacho um belo naco de cú feminino e beber água. Correu o mais silenciosamente que conseguiu e aguentou-se junto a ela durante uns bons 30 segundos, até ter levado um coice nos seus testículos entusiasmados.

Outra teoria mais rocambolesca [parecido com as aventuras extraordinárias de Rocambole (personagem de um romance de Ponson du Terrail)], aponta para o primeiro violador ter sido um doriano (gregos anteriores a esse nome) chamado Peloponnese. Estava este doriano de gema a lavar as mãos, depois de ter morto um coelho, quando encontrou uma bonita rapariga a cambalear. Tinha acabado de beber 2 litros de vinho que tinha encontrado num esconderijo de seu pai, e tratou de experimentar beber. Resultado: estava bêbada que nem um cacho. O jovem Peloponnese, envergonhadamente virgem, aproveitou a situação e foi despindo-a. Quando chegou à tira das mamas (não havia soutiens na altura), e lhe toca nos seios, não aguentou a emoção e veio-se estrondosamente. A rapariga, pouco consciente, vai-se rindo e dormitando.

os cús da vida de assis pacheco

O CU DA MARUXA

Um cu que se desvela em Agosto em Ourense
redondo para olhar um cu magnificente
um cu como um bisonte
o teu cu Maruxa adivinhado num restaurante

eu rimo tanto cu que trago na memória
o teu fará por certo mais história
é um cu para a glória é nena impante

rodando na cadeira el’ deixa-nos suspensos
quase presos Maruxa pelos beiços

lembra-me nédio raxo assim forte de febra
lêveda e alva nas Burgas cozinhando
se de soslaio agora se requebra

é como canta Maruxa! igual que um pássaro
ao qual neste mesón péssoro vénia

teu ouriflâmio cu me faz insónia

Fernando Assis Pacheco,
“Variações em Sousa”, colecção de poesia “Inimigo Rumor”, Angelus Novus, Coimbra e Edições Cotovia, Lisboa, 2004

sismo que não senti

"Um bom sítio na rede para seguir as movimentações da crusta terrestre.Este sismo, mesmo com magnitude de 6, mas à distância a que ocorreu, não chegou a fazer cócegas ao edificado.Se tivesse origem mais perto ou fosse mais intenso, poderia ter ocorrido uma catástrofe.O sítio da Sociedade Portuguesa de Engenharia Sísmica faz um pouco de luz sobre esta matéria."
(Rui Gomes) - in Abrupto

dare she upload this?


Dare I upload this?, originally uploaded by Miss Aniela.

corporativismo brutal = pt

Em conversa esclarecedora com os serviços da Sapo e PT (depois de ter ligado para dois números e me terem passado a chamada uma vez - falei com três pessoas para chegar àquela que pode poderia esclarecer), cheguei ,em conjunto com a simpática assistente (só a que sabia esclarecer, a última com quem falei, foi simpática), à bonita conclusão que estou (neste caso, os meus pais) há mais de um ano a pagar por 8 MB de banda larga utilização, embora a minha linha telefónica (como a assistente indicou) esteja limitada e não permite velocidades de banda elevadas. Ou seja, pago há muito tempo por um serviço que não beneficio, quando poderia pagar metade disso mesmo para ter o mesmo serviço - isto na própria Sapo. Claro que não informam que mudaram as tarifas, com planos mais vantajosos, muito menos avisam que, como pago um valor alto, mudam-me para um tarifário com condições que não posso beneficiar, apenas e só para poder pagar o mesmo valor alto. Ah, outro pormenor, se quiser passar para um tarifário onde pago menos e possa ter um serviço igualzinho ao que já tenho - porque não posso utilizar toda a banda que me dão - terei de pagar 30 euros de taxa de downgrade. Por outro lado, se quiser pagar-lhes mais, só porque me apetece (já que o seviço mantém-se na mesma, no meu caso) não pago taxa. Adoro lógicas corporativistas radicais...

la liberté

La liberté guidant le peuple, de Eugène Delacroix.
Quadro que simboliza a revolução e a liberdade. Está a dar um documentário curioso na 2: sobre este quadro e a sua história. Muito bom.

La Liberté guidant le peuple - Wikipédia
Liberty Leading the People - Wikipedia
Musée du Louvre Eugène Delacroix 1798-1863, La liberté
Revolução Francesa - Wikipédia
Eugène Delacroix - Wikipedia
Foto no Louvre

sexta-feira, fevereiro 16, 2007

a tusa do falecido assis pacheco

ÚLTIMO TESÃO

Alombo contigo há uma porção de anos
e vou-te dizer és um chato
não tens ponta de paciência
para a vida nem para ti próprio

já te ouvi discursos a mandar vir
já te carreguei às costas
bêbedo como um Baco de aldeia
mijando as ceroulas
és um adolescente retardado
faltou-te sempre a quadra do bom senso

vez por outra um livrinho
de versos vez por outra nada
qualquer um do teu tempo
está bastante melhor do que tu
deputado administrador de empresa
ministro da maioria
puta (alguns chegaram a isso)

só tu meu inocente brincas com a neta
açulas o cão pedindo
à família que te ature
o tipo um dia destes morde-te
que é para aprenderes

mas aqui entre amigos
vou-te dizer também
uma coisa importante não cedas
à tentação de mudar
fica nesta pele que é tua

como é que tu escrevias
merdalhem-se uns aos outros

o país mete dó

guarda o último tesão
para mandares
meia dúzia de canalhas à tábua


Lisboa
5/6/9-VII-95
Fernando Assis Pacheco,
Respiração Assistida, posfácio de Manuel Gusmão, Assírio & Alvim, Lisboa, 2003 ISBN 972-37-0847-7

o moldador de diamantes

Outra exposição a ver é esta:

EXPO
Cartier 1899 - 1949. O Percurso de Um Estilo
Cerca de 230 jóias, relógios e objectos pertencentes à Colecção Cartier, além de algumas peças da Fundação Gulbenkian, em exposição no Museu Gulbenkian até 29 de Abril.

os bordalos pinheiro

Num momento em que há uma primeira parte de um tributo a Columbano Bordalo Pinheiro, no Museu do Chiado, recordo o irmão, Rafael Bordalo Pinheiro, que está muito ligado à minha cidade, Caldas da Rainha - Columbano também por cá andou. Tenho um especial carinho pelo criador do Zé Povinho e o criador da Fábrica de Cerâmica das Caldas, que têm objectos de uma criatividade impressionante, desde as coisas mais normais até aos objectos mais satíricos e até mais célebres. Existe uma escola secundária Rafael Bordalo Pinheiro nas Caldas (não estudei lá).

Rafael Bordalo Pinheiro
Figuras da Cultura Portuguesa
Azulejos - De Rafael Bordalo Pinheiro a Jorge Barradas
Rafael Bordalo Pinheiro - Wikipédia


No site dos Grandes Portugueses, programa da RTP, vem esta descrição de Rafael Bordalo Pinheiro:
Pai da caricatura mais portuguesa de todos os tempos - o “Zé Povinho” -, Rafael Bordalo Pinheiro é um dos vultos da imprensa nacional, sobretudo a que se relaciona com a sátira política. Foi o mentor da banda desenhada em Portugal e no Brasil. Com o riso, fazia “o milagre da sátira contra o país da monotonia”, refere o historiador Rui Tavares. Tinha o exercício metódico da imaginação. Mas a sua arte não se resumiu aos desenhos. Impulsionou a indústria cerâmica das Caldas da Rainha, onde fundou uma fábrica de louça e, mais uma vez, evidenciou o seu talento. Foi um industrial do entretenimento. Um emblema da cultura portuguesa.

--

EXPOSIÇÃO
Columbano Bordalo Pinheiro
O Museu do Chiado presta homenagem a uma grande figura da história da arte portuguesa - Columbano Bordalo Pinheiro. Mesmo a tempo de celebrar os 150 anos do seu nascimento. Até 27 de Maio. Esta mostra, com aproximadamente 70 obras do pintor, apresenta a carreira de Bordalo Pinheiro, nascido a 21 de Novembro de 1857, figura mítica da arte portuguesa e membro do Grupo do Leão. A sua maior e mais conhecida faceta é a de retratista: ele é o autor de obras como "O Grupo do Leão" (1885), "Concerto de Amadores" (1882) ou "Retrato de Antero de Quental" (1889). Columbano foi professor da Escola de Belas Artes, paredes meias com o próprio Museu Nacional de Arte Contemporanea (actualmente mais conhecido por Museu do Chiado), do qual foi director entre 1914 e 1929.

dá-lhe!



Jogo de polo no Sri Lanka. in Sol

as pressões dolorosas

"posso dizer que tem havido pressões e que temos recebido recados e ameaças. Por uma razão que é simples mas não despicienda: porque é verdade.
Posto isto, sinceramente não encontro mais maneiras de dizer que, se dei razão ao Herman, não foi por um post do PPM no 31 da Armada. Por muito perspicazes, sensatas e acutilantes que sejam as críticas do PPM (e se o são, meu Deus!, se o são!), não me fazem pensar que o país em que vivo não é bem aquilo que eu pensava que era. Já o facto de a minha família receber ameaças por eu ter feito uma rábula humorística de dois minutos, não me levem a mal, transtorna-me um pouco mais. Enfim, feitios."
por RAP, in Gato Fedorento

adeus ou olá ao dn?

[Estou quase chocado... isso acontece mais porque tenho receio que a empresa de Joaquim Oliveira queira mudar, em demasia, o conceito do DN. Acho que o jornal tem muito por onde pode e deve mudar, mas não quero fique pior.]

Pedro Tadeu vai dirigir jornal gratuito da GlobalNotícias
O demitido director do 24 Horas, Pedro Tadeu, vai dirigir um jornal gratuito a lançar pela GlobalNotícias, disse esta sexta-feira à Agência Lusa fonte ligada ao processo.
As direcções do Diário de Notícias e do 24 Horas, dois dos títulos diários da GlobalNotícias, foram demitidas por Joaquim Oliveira, presidente do grupo, alegadamente por estar insatisfeito com os resultados das vendas. Uma fonte contactada pela Lusa referiu que a GlobalNotícias está a projectar o lançamento de um diário gratuito, para o qual convidou Pedro Tadeu.
As demissões das direcções dos dois matutinos foram conhecidas quinta-feira à noite.
A Agência Lusa tentou contactar António José Teixeira, director do DN, e Pedro Tadeu, do 24 Horas, mas até agora não foi possível obter qualquer reacção. Contactados pela Lusa, Eduardo Dâmaso e João Morgado Fernandes, da equipa de António José Teixeira, escusaram-se a comentar a demissão.
Em 2006 a circulação média paga do DN foi de cerca de 35 mil exemplares, o que representou uma quebra de 3,4% relativamente a 2005. O 24 Horas, que em 2005 vendia mais de 50 mil exemplares, registou em 2006 uma acentuada quebra de 16,6%, caindo para 42.336 exemplares. A GlobalNotícias é proprietária do Diário de Notícias, do Jornal de Notícias, do 24 Horas, de O Jogo e da rádio TSF.



Joaquim Oliveira faz reestruturação do ‘Diário de Notícias'
Direcção do DN demitida em bloco

(...) Na redacção do ‘DN’, o nome do director do ‘Correio da Manhã’, João Marcelino, é referido com insistência para substituir o director demitido, uma vez que Oliveira nunca escondeu o seu interesse em o ter à frente do jornal. Marcelino deverá levar três jornalistas consigo e poderá ir dirigir a totalidade das publicações.

tenacious d in the desert

quarta-feira, fevereiro 14, 2007

conceito de beleza

Images of Antony, left and Cleopatra

[O conceito de beleza modificou-se ao longo dos tempos...]

Roman coin shows the flip side of Cleopatra's legendary beauty
Coin shows Cleopatra's ugly truth
Antony and Cleopatra, one of history's most romantic couples, were not the great beauties that Hollywood would have us believe, academics have said.
A study of a 2,000-year-old silver coin found the Egyptian queen, famously portrayed by Elizabeth Taylor, had a pointed chin, thin lips and sharp nose.

novo público sem cultura

Ao terceiro dia de novo Público reparo que a página da Cultura tem uma página - com o Festival de Berlim - e não existe página dos Media. Acho mal.

terça-feira, fevereiro 13, 2007

adeus wiki?

[Pode-se acabar uma das fontes mais utilizadas e menos referenciadas nos jornais... É pena porque é uma ideia fenomenal, apesar de nem sempre credível.]

Wikipedia pode fechar em quatro meses por falta de verbas
A Wikipedia ameaça interromper os seus serviços por falta de verba para os próximos quatros meses. A directora da Wikimedia Foundation, Florence Devouard, afirmou que a maior enciclopédia virtual do mundo «pode ter pouco tempo de vida».
A entidade que administra a Wikipedia arrecadaria esta terça-feira cerca de um milhão de dólares (77 mil euros). Contudo, segundo o The Inquirer, o serviço precisa no mínimo de cinco milhões de dólares (3,85 milhões de euros) para manter as suas operações.
Os custos da enciclopédia com a conexão, a manutenção de servidores e funcionários pagos vêm apenas de dinheiro de doações, uma vez que o site não tem publicidade.~
Um funcionário, de cargo não revelado, relativizou o comentário de Devouard. Sandy Ordonez afirmou que o quadro apresentado «é exagerado», já que a Wikipedia apresenta apenas as dificuldades económicas comuns às organizações sem fins lucrativos.

domingo, fevereiro 11, 2007

I don't want to smell what i can't see

ideia do referendo

"Votaste em consciência? Ou em inconsciência?"

hora h

hora

Parte 1 Parte 2 Parte 3 Parte 4 Parte 5 - no You Tube

Já foi para o ar o primeiro episódio do Hora H, do Herman. Estava à espera de melhor.
Ainda tem muito por onde pode evoluir, mas o primeiro impacto não é o mais positivo. O conceito em geral tem a sua piada mas, para já, não está ao nível dos conceitos do Herman Enciclopédia ou do Tal Canal - embora existam semelhanças.

Acho que está mais novelesco do que o Herman Enciclopédia, mas parece não resultar tão bem quanto uma série como a excelente (com um conceito genial) Paraíso Filmes. Existem personagens com grande potencial, o Yuri, especialmente. O pivot Armando fez-me lembrar, claramente, o Will Ferrel no filme The Anchorman. Acho que se poderia dar uma vertente mais nacional à personagem deste Armando. Quero com isto dizer que poderia ter mais tiques de pivots nacionais, para dar uma certa comédia de reconhecimento. Para dar um exemplo, poderia-se colocar este Armando a escrever romances de toda a espécie e feitio, nas horas livres entre os noticiários. Ou a escrever argumentos para cinema [José Rodrigues dos Santos ou Rodrigo Guedes de Carvalho fazem-no] - existe uma belo universo por explorar. O que parece mais faltar nesta comédia é esse reconhecimento (ou comparação) com a realidade actual - aquela que pode ser parodiada. Não tem de ser actualidade, mas costumes portugueses. Talvez seja aí que esteja a falhar mais...

O Herman está, de facto, muito atolado em personagens que não poderão interagir - ou dificilmente - e isto é novelesco, por isso faria sentido isso acontecer. Acho que o estagiário teve protagonismo a mais, especialmente porque aquele actor não me parece ser a melhor opção [parece-me fraquinho]... Gostei da personagem do Manuel Marques e tenho pena que a Ana Bola e Maria Rueff não tenham tido personagens mais fortes - para já...
Falta alguém ao nível de um Joaquim Monchique, José Pedro Gomes, António Feio, Miguel Guilherme...

É o início e aposta numa comédia à Herman, com ideias diferentes das antigas, e em caminhos diferentes dos Gato Fedorento - o que até é positivo. Mas, para já, falta-lhe demasiado para competir no mesmo horário que os Gato. O humor deles, mais para o lado dos Monty Python e com "caixas" que prendem bastante, está cada vez mais na moda e com razões para isso.

sábado, fevereiro 10, 2007

nicole smith

Nos tempos aureos.

Anne Nicole Smith, ex-modelo e Miss Playboy, morreu em condições muito estranhas. Aos 39 anos esta mulher já tinha sido casada com um multi millionário na casa dos 90 anos, herdado a sua herança, foi acusada pelos filhos dele de ter casado apenas por dinheiro e perdeu o seu filho há uns meses em circunstâncias muito estranhas. Agora morreu.

Anna Nicole Smith

Model's death remains a mystery
An initial autopsy has failed to find the cause of former top model Anna Nicole Smith's death.
But medical examiner Joseph Perper said he had not ruled out an overdose as a cause, and was waiting for the results of chemical analysis. Ms Smith, 39, who fought a long battle for the estate of her late oil tycoon husband, died on Thursday. Attention is now focusing on a battle between three men over the paternity of her five-month-old daughter Dannielynn.
'Medical puzzle'
Seminole Police Chief Charlie Tiger told journalists that there was "no evidence" to suggest that Ms Smith's death was the result of a crime.


Causas da morte de Anna Nicole Smith por determinar
Anna Nicole Smith - Wikipédia
www.annanicole.com

frase do milésimo

"O mal dos portugueses não está no atraso, na pobreza, na iliteracia ou em qualquer falha remediável e normal. O mal dos portugueses está em que manifestamente não regulam bem da cabeça. E contra isso não há nada a fazer."
Vasco Pulido Valente, PÚBLICO, 10-2-2007

O Vasco Pulido Valente é português, logo o Vasco Pulido não regula bem da cabeça. Se nós não devemos confiar no que uma pessoa que não regula bem nos diz, não devemos confiar no que o Vasco Pulido nos diz, logo, os portugueses talvez até regulem bem da cabeça... só alguns é que não.

Deve ser tão bom ser muito pago para dizer mal, só por dizer.

rain is coming


rain is coming, originally uploaded by hkvam.

saber caro

Biblioteca Nacional será ampliada em 2008, diz ministra
Aumentar para os mesmos pardais andarem por lá, já que mesmo os estudantes têm de pagar para entrar.

sexta-feira, fevereiro 09, 2007

um novo público


O novo Público já está disponível para consulta em PDF aqui.
Sensações iniciais
Primeiro é o choque pelo novo logo, que já conhecia há algum tempo, e pela disposição totalmente diferente.
Depois é reparar que há uma semelhança com o grafismo dos gratuitos (seja nacionais, ou estrangeiros) clara. Demonstra que esses jornais conseguiram aspectos gráficos mais eficazes e práticos e o caminho do Público é por aí, com a diferença de poder abordar assuntos de forma mais profunda.
É curioso, ainda, verificar que esta mudança gráfica significará uma mudança editorial inevitável.
Claro que como jornal pago e com outros meios, cronistas e objectivos tem as suas mais valias que justificam o preço - estou a presumir.

Mesmo assim, a nível gráfico está muito melhor. Mais leve, com fotos mais fortes e a cor traz outro nível. Os textos estão mais curtos e há maiores pontos de leitura, com caixas variadas. Claro que poderá não agradar, pelo menos no início, a alguns dos leitores mais antigos - eu próprio ainda estranho...

A nível gráfico, de forma geral, tem algumas semelhanças com o Destak, a nível de estrutura das caixas, das fotos, e dos textos mais longos está mais perto do gratuito Metro. Acho que está um jornal bem melhor, embora, me custe perder o antigo Público - com virtudes e defeitos (já demasiados a nível de grafismo). As assinaturas dos jornalistas são quase iguais às do Destak. Acho que os novos títulos vão permitir títulos mais criativos e menos longos e maçudos.

Foi o especialista do The Guardian que fez a mudança de grafismo e parece-me existirem muitos pontos de contacto com o jornal inglês (no P2 então, ui), mas tanto o interior como a capa, parecem-se mais com os gratuitos, acho. Talvez mais um sinal de que esses jornais que oferecem por aí mudaram muita coisa.

A nível de conteúdo notam-se novas páginas como a de Moda (em busca do público feminino), maior espaço para o Pessoas e fotos-legenda de tamanho de página. Nota-se maior interactividade com o site e os textos dos cronistas (que aparecem mais longe das páginas centrais) são mais pequenos, e ainda bem. Não gostei muito da disposição do editorial, a fazer lembrar o DN de outros tempos. Também não me parece que todas as secções que aparecem aqui sejam usadas todos os dias.

Boa sorte para o Público
(um jornal pelo qual tenho um carinho especial. Aprendi muito por lá com pessoas como o António Granado, Carlos Filipe (e toda a divertida secção de desporto), o super simpático e disponível Nuno Pacheco, Bruno Prata, Vasco Câmara, Vasco T. Menezes, Ana Sá Lopes, Helena Pereira - entre outros que me influenciaram indirectamente.)
PS: É curioso como o grafismo do novo desportivo gratuito, DD, é intragável... e os conteúdos são exactamente os mesmos que estão disponíveis nos sites no dia anterior. Têm uma redacção e colaboradores a perder de vista (basta ver a lista no jornal), mas não conseguem ter conteúdos próprios de jeito e de diferenciação, que seria normal para um jornal especializado em desporto, estranho (sim, há entrevistas esporádicas a pessoas de modalidades, mas poucos querem um jornal por isso)...

monty python

herman


Ouvi dizer que o Herman ainda está vivo. É já este sábado que começa o Hora H, nas semanas seguintes vai concorrer com os Gato Fedorento - uma opção muito má da SIC - nos domingos à noite. A T-shirt que o mítico humorista português enverga é dos Monty Python, do filme Spamalot. A foto é retirada do site de Nuno Markl e foi tirada por Maria João Cruz das Produções Fictícias.

perguntar ofende, e muito

O referendo para o aborto está aí ao virar do fim-de-semana. A "luta" entre o Sim e o Não está ao rubro. É curioso verificar como um país como o nosso se divide desta forma, por causa de uma pergunta destas. É ainda mais curioso verificar como se manipula informação de forma a fazer esta pergunta algo que ela não é. Ainda hoje ouvi na TSF um padre, cronista do jornal Público, dizer que é contra o aborto, mas a favor pela despenalização da mulher, por isso vota... sim.
Eu voto em mim (não, não se trata de uma metáfora a indicar que estou contra o aborto e por isso voto não).


É quase uma guerra civil de palavras e acusações e olhares de lado, apenas por causa de uma pergunta. Ainda dizem que perguntar não ofende. Parece que ofende, e muito. Ofende ao ponto de num grupo de amigos te perguntarem com uma certa dose de receio: "Vais votar em quê? Espero bem que seja Sim, hein... vê lá!". Noutro grupo de amigos dizem: "Espero que seja Não, vê lá, não me faças essa desfeita". Se hesitas algo treme, se concordares, vem o alívio. Se discordares olham-te de lado, tentam demover-te. Tenho recebido e-mails de amigos e conhecidos a falar com grande convicção que o único voto certo é o Sim, nuns casos, e o Não, noutros. A determinação é evidente. A minha resposta parece que pode ditar o que essa pessoa pensa de mim. A andar nas ruas tenho medo. Pode-se aparecer um apoiante do Não ou do Sim, e se não concordar com ele, ainda me pode dar um enxerto de porrada. Nestes últimos dias tenho andado mais pela Damaia, já que, por lá, poucos se parecem importar com essa coisa esquisita que alguns chamam "refeiendo"... Pelas estradas de terra e barracas da Damaia grito pelas ruas "Sim!!!" ou mesmo "Não!!!" e a única coisa que me acontece é ser assaltado, nada mais. Por lá sou feliz, já em Portugal, nestes dias de divisão, nem por isso.

De seguida vem o boletim de voto que encontrarão a 11 de Fevereiro nas salas de chuto do Sim e do Não. É para irem treinando a cruz, dá jeito:

what she was


What I was, originally uploaded by Miss Aniela.

esfanicar


"A vida começa com a fecundação".
Ouvi alguém importante dizer hoje.

Fecundação: "Em biologia, chama-se fertilização ao momento em que um espermatozóide penetra num óvulo (nos animais), ou em que o tubo polínico penetra no óvulo (nas plantas) durante o processo de reprodução." - diz a Wikipedia.

A vida é tão simples quanto óvulo + espermatezóide (para os amigos "o penetra").

Logo, talvez os homens pudessem passar a ser penalizados por cada castanhola batida, ou melhor, esgalhanço do pessegueiro, ou melhor, agitar da palmeira (para alguns é do castanheiro e outros do limoeiro), ou melhor ainda, esfanicar o presunto, ou melhor ainda, esfrangalhar o zé tolas, ou melhor ainda, esmifrar o carequinha, concluindo, os homens pudessem ser penalizador por masturbação.

welcome to the united states


"Em caso de dúvida deve-se votar Não porque é a opção da certeza, de que se salva uma vida. O Sim é destrutivo. (...) O Não é uma decisão de futuro, o Sim é de passado, quando não havia informação. O Não é a decisão justa e baseada na ciência actual, o Sim é de mentes arcaicas".

Quem o diz é a porta-voz do movimento pelo Não. Uma pergunta (mais uma para além daquela que uns respondem sim e outros não e outros nim), de onde vêm estes comediantes repletos de ironia?

O programa de Júlio Machado Vaz sobre sexualidade na Antena 1 foi cancelado pela RDP, porque o autor ia falar sobre a despenalização do aborto e iria dizer a sua opinião, que é favorável ao sim. A administração sugeriu que o autor do programa (que não é um programa jornalístico, mas sim de autor) falasse noutro tema. Como Machado Vaz recusou-se, foi cancelado o programa com justificação de que não cumpria os requisitos para o meio de comunicação de serviço público.
Um acto de censura profundo e muito grave relativamente a um programa de autor, onde cada um é livre de dar a sua opinião. Júlio Machado Vaz dá todos os dias a sua opinião profissional e pessoal naquele programa, mas esta semana foi impedido de o fazer. É exactamente a mesma coisa que a RTP cancelar o programa de Marcelo Rebelo de Sousa porque ele defendeu a sua posição sobre o aborto, ou cancelar o programa dos Gato Fedorento porque também fez considerações pessoais sobre o aborto.

Enfim, Diz que é Uma Espécie de Portugal... livre e sem Exame Prévio.

não quero nada

"Não: não quero nada.
Já disse que não quero nada.

Não me venham com conclusões!
A única conclusão é morrer.

Não me tragam estéticas!
Não me falem em moral!
Tirem-me daqui a metafísica!
Não me apregoem sistemas completos, não me enfileirem conquistas
Das ciências (das ciências, Deus meu, das ciências!) –
Das ciências, das artes, da civilização moderna!

Que mal fiz eu aos deuses todos?

Se têm a verdade, guardem-na!"


Álvaro de Campos/Fernando Pessoa, "Lisbon Revisited (1923)"
Obrigado L. pelo poema.

rádio em directo

Acabo de ouvir, no Fórum TSF, um ouvinte a dizer que deu um nome falso para participar no programa, porque o seu nome terá sido boicotado, e o calmo Manuel Acácio, disse o seguinte logo de seguida: "E como na TSF temos um compromisso de confiança com os ouvintes e não toleramos nomes falsos, dou a palavra ao próximo ouvinte [cortando a chamada]".
Muito bom.

quinta-feira, fevereiro 08, 2007

festival alive

Estou lá batido... se puder.

Junho
08 - Festival Alive - Pearl Jam / Oeiras / Passeio Marítimo de Algés
09 - Festival Alive - Smashing Pumpkins / Oeiras / Passeio Marítimo de Algés
10 - Festival Alive - Beastie Boys / Oeiras / Passeio Marítimo de Algés

nirvana


Diz-me, o e-mail, que hoje é o dia Nirvana. O que raio é o dia Nirvana? É o dia do nada... do vazio, da imensidão?

Mais ou menos. Vejamos o que a BBC diz:
Nirvana Day is an annual Buddhist festival. It is also known as Parinirvana and is celebrated by some Buddhists on February 15th. Nirvana Day is one of many Buddhist festivals which also include Wesak and Uposatha days. Nirvana Day is the celebration of Buddha's death when he reached total Nirvana, at the age of 80.
On Nirvana Day, Buddhists think about their lives and how they can work towards gaining the perfect peace of Nirvana. Nirvana is believed to be the end of rebirth and is the ultimate aim of Buddhism. It is reached when all want and suffering is gone.


Parinirvana Day - Wikipedia

pequenas mudanças no template

Este blog mudou de aspecto estético no final de Janeiro. Tudo graças à passagem para o novo sistema do Blogger, que demorou, visto ter mais de 3500 posts no Frescas e Boas e contar com blogs a perder de vista. A mudança foi ligeira e tem apenas um objectivo: dar um aspecto mais acolhedor, diferente. Como se se tratasse de uma sala acolhedora, ou até de um cortinado acolhedor e que soa a familiar. Depois de muita pesquisa ficou escolhido o background. O novo background foi escolhido apenas e só por mim. Perguntei, antes de o colocar no blog, ainda a opinião a mim, mas como fiz a alteração de madrugada, estava tudo a dormir e tive de me contentar com a minha opinião. Espero que eu goste. Quer dizer, gosto. É diferente. Boa.

ideia porporsitava

O abortador de fetos
vs.
O abortador de ideias

quarta-feira, fevereiro 07, 2007

ideia propositada

O abortador.

lucros ultra sónicos

Os bancos continuam a bater recordes de lucro. Dinheiro mais dinheiro dá dinheiro. Não compreendo um país onde se pedem sacríficios imensos à classe baixa e classe média (cada vez mais inexistente) e se permite que os bancos ganhem milhões e milhões à custa desses mesmos explorados. Os bancos, tal como as gasolineiras, andam a usar os sacríficios que o Estado apregoa para garantirem mais ganhos. Acho piada é ver o Estado conceder benefícios aos bancos. Apetece iniciar uma revolução e tirar todo o dinheiro dos bancos... arranjar outros modos. Sair do sistema. Mas... por agora fico por casa. Está frio e a chover.

Bancos privados registam lucros de quase 2 mil milhões de euros Agência Financeira
Lucros dos bancos dispararam 30 por cento em 2006 Público.pt
Lucros da banca somam 1,9 mil milhões DiarioEconomico.com

sábado, fevereiro 03, 2007

the smell of spring


The Smell of Spring, originally uploaded by Allure + Desire.

poetry


Rose-rock, unformed, flesh beginning, crystal by crystal,
clear pink breasts and darker, crystalline nipples,
rose-rock, rose-quartz, roses, roses, roses,
exacting roses from the body,
and the even darker, accurate, rose of sex —

Elizabeth Bishop (NY Times)

sexta-feira, fevereiro 02, 2007

público diferente



Spot1 do reformulado jornal Público.



Spot2.
De reparar que o logo do Público parece ter mudado. Está em minúsculas.

quinta-feira, fevereiro 01, 2007

há moda no mundo XXXIV


'Accademia di Costume e Moda', em Roma.

bifes do outro mundo

Bifes a 800 euros em Nova Iorque
O bife com batatas fritas voltou a estar na moda em Nova Iorque. Mas o seu preço pode chegar aos 800 euros para quem for um apreciador incondicional. Fora de moda estão as steakhouses, tradicionais estabelecimentos onde os pratos são servidos sobre grossas toalhas brancas. Deram agora lugar aos steak-lounges, onde os bifes se degustam num ambiente moderno, com luz suave, no qual se pode provar o Rolls Royce da carne de vaca: o waygu.No país da carne e do barbecue, é uma raça japonesa que veio renovar o prato nacional. Depois de os EUA tornarem a autorizar as importações do Japão, no final de 2005, o waygu, ou "bife de Kobe", ornamenta os menus, quando não é ele próprio o tema do restaurante. O entusiasmo é tal que o Nello, restaurante italiano da Madison Avenue, pode levar 600 euros por um prato com 450 g de way- gu, acompanhado por "batatas fritas italianas". A versão com trufas brancas ultrapassa os 800 euros.

perder minutos num produto industrial

[Uma entrevista curiosa do Público que, valendo o que uma opinião especializada vale, dá que pensar...]

Por cada cigarro que se fuma perdem-se 11 minutos de vida
A doença cardíaca coronária mata mais de sete milhões de pessoas por ano. O cardiologista Sandeep Gupta, indiano instalado em Londres, teme pelo fosso entre pobres e ricos e apela à responsabilidade de cada um na prevenção da doença. Tão importante como reverter a aterosclerose, diz, é inverter comportamentos de risco.

PÚBLICO - Com os novos tratamentos da aterosclerose que abrem a possibilidade de regressão da doença não se corre o risco de vermos as pessoas a comer e beber à vontade, porque sabem que terão a droga para corrigir os males desse comportamento?
SANDEEP GUPTA - Isso é uma interessante psicologia. É a história da polipill mágica [a proposta de criar um comprimido que junte seis medicamentos: estatina, aspirina, três drogas para a tensão arterial e vitaminas]. Há investigadores que defendem que se dermos este comprimido a todas as pessoas com mais de 55 anos com factores de risco será possível eliminar cerca de 80 por cento dos ataques cardíacos e enfartes. Perante isto, pode-se argumentar que mais vale aproveitar o hambúrguer, os cigarros, etc...

Mas não funciona assim. Quem tem doenças de coração tem de assumir responsabilidades. Fazer mais exercício, pensar sobre os cigarros e as refeições gordas. E não temos de esperar que as pessoas se tornem doentes. Por que não procuramos o pré-paciente?

Ou seja, a pessoa que reúne alguns factores de risco?
Sim. Não é possível controlar a história familiar. Portanto, temos de nos concentrar no que podemos controlar. Pode parar de fumar. Sabe que por cada cigarro que fuma perde 11 minutos de vida? Em média, a esperança de vida de um fumador é de menos dez anos do que um não fumador. Se parar de fumar, em 12 meses o risco já caiu em 50 por cento.

Acha que os cigarros são o principal inimigo?
Não. Nenhum risco é mais importante. Oitenta por cento dos ataques de coração são explicados por quatro factores de risco: fumar, tensão arterial alta, diabetes e colesterol.

No caso do colesterol, a dieta tem um papel importante. É preciso insistir aí?
As pessoas são muito indulgentes. Temos de começar a comer as coisas certas na quantidade certa. O mundo, com seis mil milhões de pessoas, está dividido em dois. Metade está a passar fome e a outra tem excesso de peso. E, dos dois lados, morre-se cedo. E temos de falar de exercício.
mais in Público, por Andrea Cunha Freitas

farda obrigatória

Um colega de Laboratório de Humor, chamou a atenção para o facto do sargento Luís Gomes - pai afectivo da criança de cinco anos que é disputada por pais afectivos e pai biológico -, usar sempre a sua farda militar, mesmo em tribunal. Pesquisei e encontrei esta explicação que me parece fazer sentido e que dá a entender que é por motivos de Disciplina Militar a que ele ainda está sujeito:

"regressou ao presídio, onde não obstante a sua condição de recluso continua a ser militar, a envergar a farda e sujeito ao Regulamento de Disciplina Militar" --- in JN